Criação e Produção de uma Joia Artesanal

São muitas as formas de compor uma coleção ou de criar uma peça a partir do zero. Cada designer, artista, ou artesão desenvolve, com o tempo de trabalho e com suas próprias experiências, uma forma única de criar.

Depois de pensar o caminho que percorrerá para chegar a uma nova coleção, tendo em mente o que será feito, alguns preferem registrar, desenhar, anotar de alguma forma todos os detalhes, enquanto outros só registram mentalmente, ou fazem um esboço do que querem criar, e terminam o processo de criação durante a confecção da peça.


Cada um cria seu próprio processo...deixando a produção joalheira tão rica e diversa.


Durante o caminho de criação, definimos os metais ou materiais que serão utilizados, as pedras, as técnicas (sim, existem muitas técnicas dentro da joalheria artesanal!) e tudo mais que será necessário.


Pepitas de Prata

E aí começa a magia!


Não...dependendo da técnica, não é tão delicado, suave e pleno o processo de confecção de uma joia artesanal. Desde a preparação do metal, tem muita martelada, força física...muito suor mesmo! Alguns dedinhos queimados, cortados, lixados e muita, muita disposição envolvida.


Realmente é preciso muito amor e dedicação. Assim como em tudo nessa vida, né?!


Acho que para o artista joalheiro todo processo é lindíssimo, mas talvez para quem adquire uma peça, esta beleza realmente apareça somente com o resultado, com a peça pronta! E não acho, sinceramente, que seja só por seu glamour, pelo seu metal ou pelo brilho das pedras...acho que no fundo, toda essa energia e entrega profissional, desde a criação até a peça pronta, ficam estampadas, impregnadas em cada joia.



Eu, particularmente, me encantei com o crochê em metal desde o primeiro contato com a técnica, mas também sou apaixonada pelos demais processos dentro da joalheria, alguns com os quais trabalho até hoje e muitos que ainda quero aprender.



No meu caso, o processo de criação e produção pode ter dois caminhos. Primeiro tento definir um tema que queira trabalhar naquele momento. A partir daí, às vezes faço algum esboço do que estou pensando em fazer (esboço mesmo, pois não desenho nada bem...ainda!), penso nos metais, nas pedras, em mais alguns detalhes...e mão na massa. Normalmente, mão na agulha!

Outras vezes, só escolho o metal, pego minha caixinha com meus rolinhos de fios e minha agulha de crochê e deixo fluir. Às vezes surgem peças que eu não teria como imaginar antecipadamente. Acho isso incrível!


E é assim...com muita criatividade, amor, disposição e muito trabalho, que joias artesanais são criadas por tanta gente incrível que compõe esse meio!


Giselle Pietrocola




21 visualizações0 comentário